Vídeos de bolso!!

                                                                           

 

 

Eu venho colocando nesse blog minha opinião sobre como as novas mídias estimulam a produção artística, já que disponibilizam ferramentas que tornam muito mais accessíveis a produção e o consumo das artes em geral.

Com esta convicção eu questiono se essa nova ótica de produção não pode ser absorvida pelo mercado? (ver texto “Content” em 13/10 nesse mesmo blog)

Semana passada uma noticia lançada pela Apple me chamou a atenção: foram vendidos 1 milhão de vídeos em 19 dias, desde que a empresa lançou o iPod que armazena e reproduz vídeos e começou a comercializar arquivos de imagens através da sua loja virtual o iTunes.

Segundo seu diretor de CEO Steve Jobs vender 1 milhão de vídeos em 20 dias realmente sugere que existe mercado para o download legal desses arquivos. O objetivo da Apple agora é expandir a oferta desse material para que cada vez mais as pessoas assistam vídeos pelos computadores e iPods.

A Apple tem entrado cautelosamente nesse mercado, e a grande questão é se as pessoas irão mesmo se acostumar a ver as imagens em telas pequenas.

Se comparados com os números da venda de músicas, essa explosão do vídeo não espanta muito, quando a iTunes Music Store foi lançada, no começo desse ano no Japão, foram vendidas 1 milhão de tracks em apenas 4 dias. Mas a loja foi aberta com uma variedade bem maior de opções para compra.

A Apple atualmente possui 2000 clipes de música, uma pequena coleção de curtas de animação da PIXAR Studios, e alguns episódios de shows exibidos pela rede de tv ABC.

Segundo a própria Apple tem sido muito difícil convencer os profissionais de vídeo a pensarem em seus projetos voltados para a internet.

A grande questão pra mim é que não necessariamente esse novo conteúdo exigido pelo mercado precisa ser produzido pelos mesmos profissionais de hoje, já que novos conceitos terão que ser estabelecidos para se trabalhar com mídias como a internet e o telefone celular.

Vejo muito potencial para o a inclusão de diversos tipos de profissionais no mercado de vídeo on-line. No Brasil o iPod com vídeo ainda não foi lançado e os telefones celulares que gravam e reproduzem imagens acabaram de chegar, mas acredito que uma nova gama de oportunidades está surgindo e para muitos daqueles artistas que encaram suas produção apenas como hobbies, está na hora de pensar como disponibiliza-las para downloads, pois, pelo visto a nova geração está disposta a pagar para assistir, mas claro que assistir produtos com conteúdo de qualidade.